RAÇAS DE CÃES

CÃO PELADO MEXICANO
Mexican Hairless Dog
Chien Nu Mexicain
Mexikanischer Nackthund
Xoloizcuintle

RAÇAS DE CÃES - CÃO PELADO MEXICANO - XOLOIZCUINTLE

ORIGEM
México. A história da raça tem mais de 3 mil anos, quando os animais eram muito difundidos entre os povos pré-colombianos. Acredita-se que algumas culturas os mantinham como bichos de estimação e aquecedores de leito, animais sagrados e mesmo como animais de corte. Relatos espanhóis do século XVII descrevem grandes banquetes com centenas de cães servidos.
Apesar da longuíssima história da raça, ela só foi reconhecida oficialmente na década de 50. O Cão Pelado Mexicano se tornou muito raro na segunda metade do século XX, e quase entrou em extinção, mas esforços de criadores na década de 80 ajudaram a revitalizar a raça.

ASPECTO GERAL
É bastante chamativo: sua característica principal é a ausência total ou quase total de pêlo, com pele suave e ajustada. Seu corpo é bem proporcionado, com peito amplo e tórax espaçoso, membros longos e cauda longa. Sua conformação recorda ao Manchester Terrier.

REGIÃO CRANIANA
Cabeça: visto de cima, é larga e forte porém muito elegante, adelgaçando-se para o focinho.
Crânio: do tipo lupóide, é largo, forte e cuneiforme.

RAÇAS DE CÃES - CÃO PELADO MEXICANO - XOLOIZCUINTLE

 Visto de cima, o crânio é largo e elegante, Adelgaçando-se gradualmente em direção ao focinho, com a crista occipital pouco marcada.
Stop: ligeiro, porém bem definido. De perfil, as linhas superiores do crânio e focinho são quase paralelas.

RAÇAS DE CÃES - CÃO PELADO MEXICANO - XOLOIZCUINTLE

REGIÃO FACIAL
Olhos: de tamanho médio, formato amendoado com expressão alerta e sumamente inteligente. A cor varia de acordo com a cor da pele, em tons pretos, pardos, castanhos e âmbares ou amarelos. Prefere-se o mais escuro possível e os dois da mesma cor. As pálpebras são pigmentadas do preto, pardo ou cinza nos cães escuros permitindo-se pálpebras claras ou rosadas em cães claros, mas não sendo o mais apropriado.
Focinho: visto de perfil é reto, com a maxila e a mandíbula quadradas fortemente desenvolvidas.

Trufa: deve ser bem escura nos cães escuros; pode ser café ou cor-de-rosa nos exemplares bronze, rosa ou parda, nos exemplares dourados e malhada nos exemplares malhados.
Lábios: fortemente ajustados.
Língua: a língua dos Xolos geralmente é cor-de- rosa, porém pode ter manchas pretas em meia lua ou rajadas, esta é uma característica comum na raça.
Bochecha: levemente desenvolvidas.

Dentes/ Mordedura: - Xoloitzcuintle sem pêlo : os incisivos devem fechar-se perfeitamente com a mordedura em tesoura, os incisivos superiores ultrapassam os inferiores tocando com sua face interna a face externa dos incisivos inferiores, tornando o formato das maxilas quadrado, a mordedura em torquês com os dentes tocando-se de topo também é permitida.
Não se penaliza a ausência de alguns dentes incisivos, caninos, pré-molares e molares, assim como dentes torcidos, já que alguns exemplares não possuem dentes com raízes profundas. Geneticamente a ausência de pêlo está intimamente ligada à ausência de peças dentárias.
- Xoloitzcuintle com pêlo : é requerida a dentadura completa com mordedura em tesoura ou torquês.

Orelhas: - Variedade sem pêlo: orelhas longas, grandes, expressivas, muito elegantes e de textura delicada; lembram as orelhas de morcego. Sempre portadas erguidas em estado alerta, nesta posição seu eixo deverá ter uma inclinação de 50° a 80° em relação a uma linha horizontal.
- Variedade com pêlo: orelhas longas, grandes e elegantes. Podem estar erguidas ou caídas. Qualquer posição é aceitável, ambas as orelhas devem estar na mesma posição quando em alerta.

PESCOÇO
Linha superior: portado alto, ligeiramente arqueada.
Comprimento: proporcionalmente longo.
Formato: delgado, flexível, bem musculado e sumamente elegante.
Pele do pescoço: firme, elástica e ajustada, sem barbelas. Os filhotes apresentam rugas que desaparecem com a idade.

TRONCO
Linha superior: perfeitamente reta.
Cernelha: não muito definida.
Dorso: a linha superior do dorso parece perfeitamente reta; são indesejáveis os exemplares com o dorso cedido (lordose) ou carpeado (xifose) nem alongado com posteriores curtos.
Peito: visto de perfil é longo e profundo, alcançando o cotovelo. Visto de frente o antepeito tem boa amplitude, mas a ponta do esterno não é proeminente.
Costelas: ligeiramente arqueadas, nunca planas
Ventre: elegantemente marcado. Abdome musculoso e moderadamente esgalgado.
Lombo: forte e musculoso.

RAÇAS DE CÃES - CÃO PELADO MEXICANO - XOLOIZCUINTLE

Garupa: o perfil levemente convexo. Sua inclinação forma um ângulo aproximado de 40° com a horizontal; de construção forte, musculosa.

CAUDA
Longa, fina e com alguns pêlos hirsutos. De inserção baixa, prolongando-se até os jarretes e adelgaçando-se para a ponta. Em ação é portada elevada, em curva, nunca enroscada sobre o dorso. Em repouso é pendente terminando num suave gancho. Em algumas ocasiões a coloca entre as pernas, pressionada contra o ventre, o que revela timidez.

EXTREMIDADES ANTERIORES
Vistos de frente, os membros são retos, verticais, proporcionais ao corpo e de bom comprimento.
Ombros: planos e musculosos. Boa angulação escapulo-umeral que permite um passo largo, fluente e elegante.
Braços: padrão não comenta.
Cotovelos: fortes, firmemente ajustados ao tórax, nunca voltados para fora.
Antebraços: padrão não comenta
Carpos: padrão não comenta.
Metacarpos: padrão não comenta.
Patas: de comprimento médio (pata de lebre). Dedos arqueados e compactos, apresentam pêlos hirsutos. As unhas são curtas e de cor preta nos exemplares escuros e mais claras nos cães bronze ou dourados. As almofadas plantares são duras e muito resistentes a qualquer terreno. As membranas interdigitais são bem desenvolvidas.

RAÇAS DE CÃES - CÃO PELADO MEXICANO - XOLOIZCUINTLE

EXTREMIDADES POSTERIORES
Vistos por atrás, os membros parecem perfeitamente retos e paralelos. As angulações coxofemorais de joelho e tíbio-társica são amplas, indispensáveis para permitir uma ação livre e poderosa aos membros.
Coxas: largas e fortemente musculadas nunca juntas.
Joelhos: padrão não comenta.
Pernas: padrão não comenta.
Metatarsos: padrão não comenta.
Jarretes: paralelos. Jarretes de vaca são fortemente penalizados.

Patas: as patas são alongadas (pata de lebre) com os dedos recolhidos e compactos; apresentam pêlos hirsutos; as unhas são curtas e de cor preta nos exemplares escuros e mais claras nos cães bronze ou ruivos. As almofadas plantares são fortes e muito resistentes a qualquer terreno. As membranas interdigitais são bem desenvolvidas; os ergôs devem ser amputados.

MOVIMENTAÇÃO
De acordo com as angulações, o cão deve deslocar-se com passos elegantes, largos e flexíveis; trote rápido, desenvolto com a cabeça e cauda sempre alta.

PELE
Variedade sem pêlo: devido à ausência total de pêlo, a pele desta raça adquire grande importância; é lisa, muito sensível ao toque e parece mais quente como resultado de uma emanação de calor direta devido a ausência de pêlo, sem dúvida a temperatura corporal é igual à dos outros cães com pêlo. A diferença das raças com pêlo, nas quais o calor se dispersa através da ventilação natural; a pele requer maiores cuidados, por carecer de proteção natural, ao estar exposta ao sol e às inclemências do tempo. Não se penaliza as cicatrizes acidentais. O cão pode transpirar pelas patas (almofadas e membranas interdigitais) pelo que quase não arfa, só o faz em calor extremo. Deve estar livre de problemas óbvios da pele.

Variedade com pêlo: A pele no Xoloitzcuintle variedade com pêlo é suave e deve estar completamente revestida de pêlos.

PELAGEM
Variedade sem pêlos: a característica desta raça é a ausência total de pêlo no corpo (cão pelado); ainda que apresente alguns pêlos hirsutos, curtos e densos de qualquer cor na testa e na nuca, esses pêlos nunca devem ser mais longos que 2,5 cm e nunca devem formar um topete longo e suave. É freqüente encontrar pêlo áspero nas patas e na ponta da cauda; se não existir no deve ser penalizado.

Variedade com pêlos: apresenta pêlos por todo o corpo, pode ser escasso no ventre e na parte interna das coxas.

COR
Cor da pele da variedade sem pêlos: prefere-se as cores uniformes sólidas e escuras. A gama varia do negro, cinza escurecido, cinza ardósia, cinza escuro, avermelhado, fígado, bronze ou amarelo dourado; também podem ocorrer cães malhados em qualquer cor incluindo manchas brancas ou tricolores.

Cor da pelagem da variedade com pêlos: podem apresentar qualquer cor ou combinação de cores em diferentes tonalidades, assim como ter o pêlo de qualquer comprimento ou textura em todo o corpo.

TAMANHO
A altura na Cernelha varia conforme segue:
Macho: Altura Máxima - Standard: de 46 a 60 cm
            Altura Mínima - Médio: de 36 a 45 cm
            Altura Ideal - Miniatura: de 25 a 35 cm

Fêmea: Altura Máxima - Standard: de 46 a 60 cm
            Altura Mínima - Médio: de 36 a 45 cm
            Altura Ideal - Miniatura: de 25 a 35 cm

Comprimento: o tronco é ligeiramente mais longo em relação a sua altura na cernelha, aproximadamente de 10:9. As fêmeas podem ser ligeiramente mais longas que os machos.

PESO
Padrão não comenta.

PROPORÇÕES
O tronco medido da ponta dos ombros até a ponta do ísquio e da cernelha até o solo é ligeiramente mais longo em relação a sua altura na cernelha, aproximadamente de 10:9. O comprimento do tronco nas fêmeas pode ser ligeiramente mais longo que nos machos, devido à função reprodutora.

TEMPERAMENTO/ COMPORTAMENTO
Cão tranquilo, quieto, alegre, atencioso e alerta. Desconfiado com os estranhos, bom guardião e excelente companheiro. Nunca agressivo.

br.viarural.com > animais > raças de cães >

RAÇAS DE CÃES

AGRICULTURA CONSTRUÇÃO E PECUÁRIA NO BRASIL